iFood sofre falha e expõe dados de usuários
< Voltar para notícias
203 pessoas já leram essa notícia  

iFood sofre falha e expõe dados de usuários

Publicado em 22/06/2020 , por Arthur Cagliar

Clientes relataram que endereços e pedidos de outras pessoas apareceram em seus perfis; problema já foi solucionado, diz empresa

SÃO PAULO

Uma semana após o Dia dos Namorados, em que o aplicativo de entrega de comida iFood registrou instabilidade em seu sistema, a plataforma do serviço voltou a ter problemas.

Dados de usuários foram expostos por uma falha no aplicativo na manhã desta sexta-feira (19), segundo relatos nas redes sociais.

O analista de comércio exterior Guilherme Carbone, 28, foi um dos que percebeu o problema. Ele foi fazer um pedido de café da manhã, às 9h30, mas ao abrir o aplicativo notou uma notificação na aba de pedidos.

"Fui olhar e era de um lugar em que eu nunca havia visto antes. Olhei no histórico dos pedidos e percebi que nenhum dos que estavam lá era meu", disse ele que costuma fazer de 2 a 3 pedidos pela plataforma por semana.

Assim como Carbone, os clientes relataram nas redes sociais que ao abrirem suas contas no app pela manhã se depararam com dados de outros usuários. 

"Percebendo que havia algo de errado, fui nas outras abas e vi que nenhuma das informações, de endereços, chats iniciados e pedidos, eram minhas. E toda vez que atualiza aparecia uma informação diferente. De diferentes datas e cidades", afirmou Carbone. 

"Tive acesso também aos endereços dos perfis que o iFood me atribuía aleatoriamente. Tanto o residencial, comercial e histórico de endereços utilizados. Achei bem perigoso."

Em comunicado, o iFood disse que o problema ocorrido nesta manhã teve duração de 30 mintuos e que não foi nenhum tipo de ciberataque ao seu sistema.

"Durante esse breve período, o sistema exibiu dados pessoais dos usuários de maneira aleatória. A empresa reforça que, ainda assim, não foi possível que clientes fizessem pedidos por outras pessoas ou acessassem contas de terceiros", segundo a nota.

"A empresa esclarece que os meios de pagamento ficam gravados apenas nos dispositivos dos próprios usuários, e não são armazenados nos bancos de dados da plataforma. Dessa forma, os dados referentes a esses cartões não sofreram qualquer vazamento."

A empresa informou também que o sistema já foi normalizado e os usuários impactados estão sendo comunicados do ocorrido.

Fonte: Folha Online - 19/06/2020

203 pessoas já leram essa notícia  

Notícias

Ver mais notícias

Perguntas e Respostas

Ver mais perguntas e respostas