Segunda parcela de R$ 600 deve sair após conclusão dos primeiros pagamentos
< Voltar para notícias
370 pessoas já leram essa notícia  

Segunda parcela de R$ 600 deve sair após conclusão dos primeiros pagamentos

Publicado em 15/05/2020 , por Ana Paula Branco

Calendário do auxílio emergencial está atrasado em mais de duas semanas

Previsto para ter início em 27 de abril, o calendário de pagamentos da segunda parcela do auxílio emergencial continua uma incógnita.

Na semana passada, o Ministério da Cidadania afirmou que a divulgação ocorreria até sexta-feira (8). Até o momento, porém, nenhum anúncio foi feito nem há uma previsão.

Segundo a reportagem apurou, um dos motivos para o atraso no depósito da próxima parcela é a primeira fase de pagamentos ainda não ter sido concluída.

Outra razão ainda, de acordo com agência de notícias Reuters, é o Brasil não ter cédulas suficientes para pagar o auxílio emergencial e ser necessário aumentar a produção de dinheiro físico. Mais de 50 milhões de trabalhadores já foram aprovados para o programa assistencial e receberam a primeira parcela do benefício, que pode chegar a R$ 1.200 para mães chefes de família.

Outros mais de 16 milhões, que se inscreveram para o benefício em abril, aguardam a análise de seu pedido pela Dataprev. Destes, mais de 14 milhões devem receber uma resposta ainda nesta semana.

Entre os pedidos em análise estão o de pessoas que refizeram o cadastro, porque tiveram inconsistência nos dados informados anteriormente, como um número errado do CPF de algum dependente.

Para saber se é o seu caso, o candidato pode acessar o site https://consultaauxilio.dataprev.gov.br, informando CPF, nome completo, nome de sua mãe e data de nascimento.

A Caixa afirma estar preparada para fazer o pagamento e aguardar a divulgação do calendário pelo governo federal. O banco pretende ampliar o calendário de saques da segunda parcela para evitar aglomerações nas agências.

Coronavoucher | Veja mais

HISTÓRICO

  • 7 de abril - Caixa lança site e aplicativo para o cadastro no auxílio emergencial
  • 9 de abril - primeiros beneficiários, inscritos no CadÚnico, começam a receber a primeira parcela
  • 4 de maio - nascidos em novembro e dezembro com conta digital da Caixa são liberados para sacar a primeira parcela do auxílio emergencial
  • 13 de maio - dia previsto para a Dataprev concluir a análise de 14,7 milhões de pedidos feitos ou refeitos em abril, dos 16,4 milhões que aguardam a análise para receber a primeira parcela do auxílio

Previsão inicial de pagamentos da segunda parcela

Para quem está no CadÚnico ou pediu pelo site e aplicativo da Caixa o pagamento deveria ter ocorrido em:

  • 27 de abril - para nascidos em janeiro, fevereiro ou março
  • 28 de abril - para nascidos em abril, maio ou junho
  • 29 de abril - para nascidos em julho, agosto ou setembro
  • 30 de abril - para nascidos em outubro, novembro ou dezembro

Para quem recebe o Bolsa Família - últimos 10 dias úteis de maio, seguindo o calendário do programa

Calendário de saques
  • A Caixa pretende ampliar o calendário de saques da segunda parcela para quem tem conta-poupança digital
  • A ideia é cada dia de pagamento ser reservado para um mês de nascimento, evitando filas nas agências
Como consultar o pedido em análise

1. Acesse https://consultaauxilio.dataprev.gov.br

2. Informe número do CPF, nome completo, nome completo da mãe do trabalhador e a data de nascimento, nos campos indicados

3. Clique em “Não sou um robô”

4. Clique em “Enviar”

5. O site vai informar se é a 1ª ou a 2ª análise do pedido do trabalhador e as etapas até a conclusão do processo

6. Vá em Resultado do processamento - quando a análise termina, a Dataprev informa nesta etapa sua conclusão: aprovado ou não aprovado

7. Se for aprovado, confira em Envio para a Caixa a data de liberação do cadastro para a Caixa fazer o pagamento e o valor do benefício

Quem tem direito ao auxílio emergencial

De acordo com a lei, pode receber o auxílio quem acumular as seguintes condições:

  • É maior de 18 anos
  • Não tem emprego formal
  • Não receba benefício assistencial ou do INSS, não ganhe seguro-desemprego ou faça parte de qualquer outro programa de transferência de renda do governo, com exceção do Bolsa Família
  • Tenha renda familiar, por pessoa, de até meio salário mínimo, o que dá R$ 522,50 hoje, ou renda mensal familiar de até três salários mínimos (R$ 3.135)
  • No ano de 2018, recebeu renda tributável menor do que R$ 28.559,70

O futuro beneficiário deverá ainda cumprir pelo menos uma dessas condições:

  • Exercer atividade como MEI (microempreendedor individual)
  • Ser contribuinte individual ou facultativo da Previdência, no plano simplificado ou no de 5%
  • Trabalhar como informal empregado, desempregado, autônomo ou intermitente, inscrito no CadÚnico até 20 de março deste ano ou que faça autodeclaração e entregue ao governo

Dois benefícios na família

  • Será permitido até duas pessoas de uma mesma família acumularem benefícios: um do auxílio emergencial e um do Bolsa Família
  • Se o auxílio for maior que a bolsa, a pessoa poderá fazer a opção pelo auxílio

Declaração de renda

  • A renda média será verificada por meio do CadÚnico para os inscritos e, para os não inscritos, com autodeclaração em plataforma digital
  • Na renda familiar serão considerados todos os rendimentos obtidos por todos os membros que moram na mesma residência, exceto o dinheiro do Bolsa Família

Fonte: Folha Online - 14/05/2020

370 pessoas já leram essa notícia  

Notícias

Ver mais notícias

Perguntas e Respostas

Ver mais perguntas e respostas