Segundo Procon de Aparecida, 70% dos consumidores têm dificuldade para pagar dívidas
< Voltar para notícias
84 pessoas já leram essa notícia  

Segundo Procon de Aparecida, 70% dos consumidores têm dificuldade para pagar dívidas

Publicado em 16/05/2019 , por Elisama Ximenes

Pesquisa teve como base as 264 pessoas que buscaram atendimentos no Procon entre o dia 1º de janeiro a 30 de abril de 2019

De acordo com um levantamento do Procon Municipal de Aparecida de Goiânia, mais de 70% dos consumidores não conseguiram pagar suas dívidas em 2019. O número foi constatado devido à alta demanda de procura por pendências financeiras com bancos e instituições.

Para ajudar os cidadãos que estejam inclusos nesse percentual, o Procon divulga procedimentos que alertam e orientam o consumidor sobre como evitar novas dívidas e como agir na negociação das já existentes.

Dados

A pesquisa foi realizada pela Coordenadoria de Cálculos e Pesquisas  que teve como base as 264 pessoas que buscaram atendimentos no Procon entre o dia 1º de janeiro a 30 de abril de 2019 para cálculos do cartão de crédito, revisões de financiamentos e atualização de valores.

“O índice de endividamento de consumidores que não tiveram condições de pagar suas dívidas até abril deste ano é de 72,17%. Desse total, as modalidades que o consumidor mais está endividado é o cartão de crédito com 39,18%, em seguida vem o cheque especial com 22,19% e crédito direto ao consumidor com 12,14%”, destacou o presidente do Procon de Aparecida, Marinho Resende.

Dicas

Com essa realidade, o presidente do órgão divulgou uma lista com procedimentos que os consumidores deverão observar para evitar dívidas e compromissos financeiros que comprometem a renda familiar. Uma delas é priorizar compras à vista e evitar parcelas que ultrapassem o orçamento mensal.

“Colocar as despesas na ponta do lápis. O melhor é que apenas um terço da renda mensal seja comprometida com débitos; pensar no futuro e poupar; não abusar nas compras, adquirindo somente o necessário para o próprio sustento e de sua família; e por fim investir corretamente e observar a realidade da economia do país. Se o consumidor seguir essas dicas poderá nortear melhor sua evolução financeira”, detalhou.

Além disso, Marinho ainda explica como negociar as dívidas. “Elabore uma proposta pertinente antes de negociar; procure o credor frente a frente e evite intermediários; procure mutirões de conciliações que ofereçam descontos maiores; tente redução de juros; se for pagar à vista, peça desconto; fique atento as penalidades para ver se estão de acordo com o código de defesa e proteção ao consumidor; consulte o Procon antes de fechar qualquer acordo de renegociação e evite novas dívidas antes de terminar  de pagar os acordos celebrados”, pontuou.

Fonte: Jornal Opção - 15/05/2019

84 pessoas já leram essa notícia  

Notícias

Ver mais notícias

Perguntas e Respostas

Ver mais perguntas e respostas